quarta-feira, julho 16, 2008

Continuando...

Em relação à última mensagem aqui postada, juro que nunca me teria passado pela cabeça que uma frigideira pudesse ser considerada um instrumento musical e muito menos que um jumento pudesse ser considerado uma ave canora (no caso, um pássaro de canto).
No entanto, uma minha amiga não demasiado inteligente, talvez tentasse convencer-me de que se pode fazer barulho com uma frigideira e que o jumento também emite um ruído, pelo que, apesar de não ser ave, pode ser considerado ave canora.
Por aqui se vêem várias coisas: que a língua portuguesa não está em vias de ser assassinada, já que sobreviveu em beleza a este tipo de atentado, muito mais frequente no passado que no presente. Que a falta de lógica, como eu sempre disse, não é uma questão de língua, embora se note muito facilmente através da língua. É mesmo uma questão de inteligência. Nem todos nasceram poetas.


Este texto fez-me lembrar um outro muito engraçado sobre a pintura duma igreja, em que as figuras nunca são referidas como imagens mas como realidades, por exemplo: "pintar os cornos ao Diabo e à vaca do presépio". Se alguém tiver ou encontrar esse texto, agradeço que mo envie CLICAR AQUI.
Encontrei também um muito engraçado como prefácio do autor a um livro de culinária publicado na 1ª década do século XX. Como tivemos uma reforma ortográfica em 1911, os textos desta época têm os erros ortográficos anteriores à reforma mais os da reforma. Vou procurar, mas não sei se encontro.
O diferente de hoje em dia é que os erros tinham muita graça, lidos hoje, e que eram publicados em jornais, algo impensável hoje.
Já agora, vejam os anúncios do google neste post.

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.