segunda-feira, janeiro 31, 2011

sábado, janeiro 29, 2011

Revolução Permanente? Boa Pergunta

Será que estamos no limiar de uma revolução global? Ou mesmo a assistir a uma revolução permanente?
Abro o Facebook e vejo as publicações de uma amiga assumidamente lésbica, com fotos de manifestações do orgulho gay na Índia e na China?
- Pode? - Como diriam os brasileiros?
- Poder, pode.
E tanta coisa que está a mudar, como se estivéssemos perante uma "revolução permanente".
Há uns anos, se eu dizia que uma amiga era lésbica ou um amigo gay, as pessoas mais simpáticas afirmavam: - Não quero saber... nem vou mudar de opinião sobre essa pessoa... e acrescentavam a censura moral para mim: - Estás a ser indiscreta. A revelar segredos inconfessáveis. Difícil não ser moralista?
Outro exemplo: muitas vezes, no passado, sonhei com  a hipótese de juntar um dia todos os meus amigos. Impossível, por estarem espalhados pelo mundo. Impossível? Então e o Facebook?
Ao mesmo tempo, constata-se que está a haver inúmeros divórcios, alegadamente por causa do Facebook. Mas não é só o Facebook. São, por exemplo, as Universidades Séniores, que põem todo o mundo sénior a girar... pessoas da mesma idade a encontrarem-se no mundo inteiro...
Mas as coisas não se ficam por aqui. A outros níveis e talvez a todos, verifica-se uma transformação global.
Como propõe este artigo do Global Research. Clicar Aqui

Bem, como vocês sabem, sempre gostei imenso deste Papa, BENTO XVI, embora nunca tenha gostado de nenhum outro Papa.  Até resolveu aquela pirosice do preservativo, à qual parecia intimamente ligado e agora elogia as redes sociais, embora recomendando parcimónia. há uns anos foi veiculada aquela ideia retrógrada (e peregrina) de que a Igreja Católica era contra a Internet, a Televisão, os jornais... não me identifico nada com o catolicismo, mas não sejamos atrasados mentais!
Este Papa é do seu tempo: um esteta, valoriza a Internet, a arte, a vida, a beleza que pode existir, ou não, nos ritos religiosos e que faz toda a diferença... um dia será também considerado um Papa revolucionário, embora isto pareça sempre um paradoxo.

quinta-feira, janeiro 27, 2011

Criminosos Conhecidos, Reconhecidos E Muito Respeitados

Nalguns países os criminosos estão na cadeia e são desprezados pela sociedade.
No nosso país, os criminosos são muito respeitados, estão na política a ocupar cargos importantes, têm influência, ai de quem não se der bem com eles!
Até quando vamos encolher os ombros e sorrir, como se tivesse graça???


VER AQUI


23 Jan, depois do telejornal das 20h, passou o Reporter TVI, onde o trabalho do jornalista José Carlos Castro mostra alguns casos de corrupção e roubo nos organismos públicos, demonstrando como isto acontece com o perfeito conhecimento de políticos e PJ.

O Mar e Tu

video

Enviaram-me este vídeo por email, não sei quais são as referências.
Fez-me lembrar o que diz a americana Lori a respeito deste blogue, que está nos seus preferidos:
Nádia's Blog (Mysterious photographer who reminds us Portugal is an ocean-singing land)

Às vezes a Lori e os amigos vêm até aqui e lêem textos com tradução do Google.
HY LORI!

Do Blogue chatoyance

chatoyance é o termo que designa os desenhos que existem na superfície de certas pedras (como se alguém os tivesse desenhado, como se houvesse alguma intenção na representação simbólica, como se fosse apenas um acaso que gera beleza.

terça-feira, janeiro 25, 2011

Cavacas




Estas Cavacas de Resende foram encontradas num site brasileiro de culinária. Não há dúvida. Procurei várias vezes esta receita de doces tradicionais do Norte de Portugal e encontrei sempre a receita em sites do Brasil...
As verdadeiras cavacas são duríssimas, quase partem os dentes.


Ingredientes
2 xícaras de farinha de trigo
1 ovo
colher de sopa de óleo
1 colher de chá de fermento
Sal
Leite

Preparo:
Prepare a massa, abra com o rolo, corte em tiras e frite em gordura quente. Depois de fritas, passe na canela com açúcar.


Do BLOGUE CLICAR POR CIMA

P.S.: Este post tem tido muitíssimos visistantes, que parecem usá-lo como livro de culinária, pois ficam muito tempo aqui, apesar de eu citar a fontezinha...


Ver também a festa das cavacas

AQUI

Previsões astrológicas para 2011

Previsões astrológicas para 2011

Encontrei este sítio, que faz uma explicação longa, completa e minuciosa da posição dos planetas ao longo do ano. Nunca vi nada assim. E as previsões não parecem ser más...

domingo, janeiro 23, 2011

Comprar coisas portuguesas: código de barras 560

Li, numa revista de economia, que a recente greve geral não serviu para nada, a não ser para demonstrar que temos uma sociedade activa e reivindicativa, ou seja, politizada. Essa sociedade politizada poderá fazer muito pelo país, desde que saiba o que é possível fazer.


Comprar produtos portugueses é algo que podemos fazer pelo nosso país. É certo que às vezes não são tão bons como os outros. Mas isso é relativo. Por exemplo, os produtos agrícolas podem parecer pequenos, murchos (:))... LOL... mas a minha médica naturista, fantástica, da qual já aqui falei muitas vezes 
(Ver Posts Antigos, por exemplo aqui CLICAR POR CIMA) 
 uma médica colombiana e a viver em Barcelona, vinda a Lisboa uma vez por mês, afirma que os produtos agrícolas portugueses ainda não estão contaminados, não só pelos pesticidas, mas também pelos transgénicos. Aparentemente e segundo ela, a maior parte das batatas, dos tomates e do trigo existentes à venda (base da nossa alimentação), é já constituída por produtos transgénicos.
E resmunga ela: - E andais vós a comprar os produtos espanhóis, quando os vossos são muito melhores, muito mais puros!!!


(PS.: CLICAR ABAIXO, NOS TÓPICOS INDICADOS)
OU VER FACEBOOK CLICAR POR CIMA

sábado, janeiro 22, 2011

Onde estão elas, as flores de acácia?


Amanhã o povo português vai, ordeiramente, reeleger o Presidente da República com esmagadora maioria sobre os outros candidatos.
Amanhã, a razão desta atitude é a alegada e propalada corrupção do governo. 
Amanhã, pelo contrário, o candidato a presidente, actual e futuro presidente, nadará e navegará em celestes odores de santidade. Se ignorarmos as recentes e graves suspeitas de corrupção que também recaem sobre ele. 


A música "Amanhã", do duo Ouro Negro, que acompanha este post, remete-nos para outros tempos e outros sonhos... 
Onde estão as flores de acácia?

sexta-feira, janeiro 21, 2011

Esperemos que haja petróleo no mar, Nossa Senhora de Fátima

Já que tanto acreditamos na Nossa Senhora de Fátima, porque não acreditar que ela nos pode salvar nesta hora apertada de dívidas soberanas, tão soberanas que andamos todos a pagá-las regiamente, ou seja, soberanamente... 
Muitos de nós sentem na pele (na pele da carteira, mas a partir de agora vamos quase todos usar carteiras de plástico ou de pano, em vez de carteiras de pele Louis Vuiton
Muitos de nós sentem na pele, já este mês, que a dívida soberana não é uma coisa abstracta, mas algo que mexe com os lusitanos carcanhóis, patacas, patacões...
E talvez comecem a perceber que a política não é tão vaga assim, como nos queriam fazer parecer.
Antes fosse.
A solução é aparecer petróleo no mar. Não parece ser um destino lógico? Se o petróleo for no mar, é de todos os portugueses. E assim pagamos a dívida soberana e também a corrupção dos políticos, porque vai chegar para tudo.
Quem afirma que não há coincidências... é só pedir à Senhora de Fátima.
Esperemos que haja petróleo no mar, Nossa Senhora de Fátima: Até parece uma cantiga.
["Ilumina a mina escura e funda... e funda o trem da minha vida" - (Elis Regina)]

quinta-feira, janeiro 20, 2011

quarta-feira, janeiro 19, 2011

A Sinaleira de Valongo

Nestes incipientes tempos internéticos, as figuras típicas das aldeias de outrora começam a tornar-se personagens globais...
Foi o caso daquele senhor que dizia adeus aos automobilistas, em Lisboa e que foi notícia de jornal, rádio e  televisão, aquando da sua morte.
Lembrei-me da sinaleira de Valongo, uma mulher que estava sempre na rua principal de Valongo, perto do Porto, a comandar o trânsito, com alguns adereços de polícia sinaleiro, como o capacete e as luvas. Isto ainda antes de haver mulheres-polícias e também depois.
Nunca soube nada a respeito dela, era uma figura misteriosa, os automóveis seguiam as suas instruções, o trânsito corria ordeiro. Imagino que devia haver quem protestasse... quem a tratasse mal... o que não a terá dissuadido nunca!
A figura do sinaleiro sempre me pareceu misteriosa e a dela mais ainda. Procurei no Google: encontrei várias referências.
Quem lhe diria que ia ser notícia da Internet, que não deve ter chegado a conhecer... 

terça-feira, janeiro 18, 2011

Ministras da Educação

Só agora me dou conta destes pormenores. Na avaliação dos professores, que tinha obrigação de ser ainda mais rigorosa e decente que qualquer outra, acontece o que vou expôr.
Existem umas quotas para as notas mais altas. Há vários avaliadores, muitas vezes com menos experiência e menos habilitações que os avaliados. Esses avaliadores entram nas mesmas quotas dos avaliados, ou seja: se só pode haver três notas muito altas, eles só as podem dar a duas pessoas, reservando a terceira para eles mesmos. Mas não é assim tão simples, pois há vários avaliadores, por exemplo, três para três notas altas.
Uma avaliação isenta e rigorosa, não? Isto não é sadismo?
Quem faz estas leis e com que intenção???

domingo, janeiro 16, 2011

Ler a Sina

Um bando de ciganas atravessa a rua dirigindo-se a mim. Uma delas, com ar mais moderno e cabelo mais curto, começa a ler-me a sina, enquanto as outras se afastam.
- Muita gente lhe tem inveja! Há duas mulheres que lhe vão fazer mal...
- Então para me ler a sina eu não tenho de mostrar a palma da mão?
- Não, filha! Eu estou-lhe a ler a sina na testa!
- Ah! E quanto leva por me ler a sina?
- As duas mulheres têm-lhe inveja e estão a preparar-se para lhe fazer mal. Mas você pode evitar. Faça uma salga com terra do cemitério e ponha-a debaixo do seu tapete na porta da entrada.
- Ah! Pois! Eu, por acaso, até já tinha pensado em fazer isso. Dá sempre jeito ter uma coisa como essa debaixo do tapete da entrada... digamos, à mão de semear... e então... como é que se faz a salga?
- As duas mulheres querem-lhe muito mal. Mas há alguém que a pode salvar.
- Deus?
- Não.
- Então quem?
- A Dona Rosa. 
- Quem?!
- Atravesse para aquele lado de lá e pergunte àquelas mulheres quem é a Dona Rosa.
- Fica para outra vez.

quinta-feira, janeiro 13, 2011

O Desencobrimento da Terra

A Revista TRIPLOV  Acaba de sair e publica um curto texto dramático de minha autoria, intitulado 
"O Desencobrimento da Terra".
Excerto - Clicar por cima do texto


Paul Krugman e a dívida portuguesa

O prémio Nobel da Economia Paul Krugman considerou que a taxa de juro referente ao leilão da dívida pública portuguesa foi «ruinosa».



Numa apreciação publicada no seu blogue, Krugman disse que a taxa de juro foi «pouco menos que ruinosa». «Considerar um sucesso a capacidade de Portugal colocar obrigações a dez anos a uma taxa de juro de 'apenas' 6,7 por cento diz alguma coisa do profundo desespero da situação europeia», afirmou.

Acrescentou, na televisão, que com mais alguns "sucessos"  destes, a periferia europeia será destruída", a propósito de Sócrates ter afirmado que o caso foi um grande sucesso..
Este economista e colunista gosta muito de Portugal.
E este é o seu blogue CLICAR

quarta-feira, janeiro 12, 2011

Ordália: para Sócrates, a vinda do FMI

Está tudo pronto para a intervenção do FMI em Portugal.
Mas Sócrates fará tudo para o evitar, porque isso significa a sua derrota. Ou um suicídio induzido, idêntico ao que os outros gregos infligiram ao outro Sócrates. Ou uma ordália. Mete-se o réu dentro de água: a justiça divina decidirá se o "arguido" morre afogado ou se ganha guelras.
Sócrates será capaz, para isso, de mentir? De aldrabar as contas?
Cenas dos próximos capítulos...
Alguém ficou traumatizado das outras duas vezes em que esteve cá o FMI?
Que bom! Estão todos muito contentes porque os mercados compraram a dívida portuguesa abaixo de 7 por cento (quase sete por cento). Pois. Mas compraram a dívida alemã a 2,87 por cento...

terça-feira, janeiro 11, 2011

Pássaro Lira



Este pássaro, o pássaro-lira, não só imita outros pássaros (mentiroso, teatreiro, aldrabão) como até imita uma motosserra.
É uma reportagem de David Attemborough.

sábado, janeiro 08, 2011

Santa Isabel da Hungria e o milagre das rosas


(Grupo escultórico de Santa Isabel da Hungria por Rudolf Moroder)

Já tinha visto esta referência num livro de Marguerite Yourcenar e pensei que fosse engano, vejo-a de novo num de Ken Follet Um mundo sem Fim. A propósito, vai dar na televisão uma série sobre Os Pilares da Terra, do mesmo autor, de que falei recentemente aqui.
Então Isabel de Hungria era tia-avó da Rainha Santa Isabel e também é uma Rainha Santa Isabel, duma família de santas. Senão, vejamos:



A minha mãe gostava muito da nossa Santa Isabel, acho que era a sua santa preferida. A minha é a também rebelde, mas mais ainda, Santa Bárbara.
Gostaram do nome de Santa Cunegundes, também chamada Kinga? Parece o nome de uma tia de Cascais.


O milagre das rosas é igualmente atribuído às duas santas.

BPN continua a gastar milhões em acções

Já viram isto? Entendem metade?
Dantes tínhamos medo das ditaduras. Agora temos medo que dêem cabo das finanças e da economia do país e também das ditaduras.
O povo português vai pagar por causa do BPN, mas o BPN não paga nada. Pelo contário, continua  a gastar dinheiro a rodos, em prol dos tipos mais corruptos deste país, incluindo os nossos honoráveis políticos.
Que podemos fazer? A mim parece-me que só mesmo outra revolução.


Leiam: 

Uma carta do Presidente da Galilei, a antiga Sociedade Lusa de Negócios que era dona do BPN, comunica aos accionistas a compra, pelo banco, de 20 milhões de euros de acções da mesma Galilei. Isto é, o banco nacionalizado, que está a ser ajudado pelos contribuintes, continua a comprar acções da antiga holding a actuais accionistas como se não estivesse numa situação de emergência financeira que obrigou à intervenção do Estado. 

sexta-feira, janeiro 07, 2011

Vamos para os partidos!!!

Se eu entrasse agora num partido, que seria, necessariamente um pequeno partido de esquerda, a primeira e única proposta que faria seria esta:
- Quanto recebemos nós, neste partido, para a campanha eleitoral?
- X - seria a resposta.
- Então, eu proponho uma de duas hipóteses: ou renunciamos à totalidade do financiamento, ou renunciamos a metade. E damos o exemplo: a comunicação social vai fazer um alarde tão grande desta nossa renúncia...


Xau, filhos, acho que já fui expulsa do partido...  e acaba aqui o meu curriculum...


Uma vez sem exemplo participei numa campanha: a do movimento cívico Cidadãos Por Lisboa: achei giríssimo: era contra o PS. Logo a seguir, os Cidadãos Por Lisboa viraram a favor do PS. 
O erro não é meu. Nem vosso. Nem a culpa.
POIS!

quinta-feira, janeiro 06, 2011

O consenso académico é de que a importância das campanhas eleitorais para o resultado das eleições é mínimo.
Então, para quê gastar tanto dinheiro com esta campanha, ao mesmo tempo que se empobrece os portugueses com impostos e reduções de salário?

quarta-feira, janeiro 05, 2011

Fernando Nobre

A princípio, Fernando Nobre parecia ser uma candidato muito interessante, uma verdadeira alternativa.
Logo no primeiro debate, no entanto, viu-se que com aquele tom, aquele ritmo e aquele discurso não poderá chegar a lado nenhum, em termos políticos. Pelo menos nestas eleições e a não ser que mudasse de estilo até às próximas, uma vez que tenciona voltar a candidatar-se.
Mas agora elogia Sócrates! Que pretende semelhante criatura? Dar um tiro no pé?

terça-feira, janeiro 04, 2011

A chuva na leitura do livro e também no telhado

Estou  a ler com grande prazer Um Mundo sem Fim de Ken Follet, depois de ter lido Os Pilares da Terra do mesmo autor.
Descobri-o assim: numa banca de publicidade turística espanhola, pouco depois ou pouco antes de ter reencontrado a Filipa que também trabalha em turismo - navios, havia como oferta uma brochura com uma encadernação magnífica, que continha, em espanhol, parte do 1º Capítulo deste Um Mundo sem Fim.
A personagem é uma menina que está a tentar roubar a bolsa de um fidalgo durante uma celebração religiosa numa catedral gótica (construída no livro Os Pilares da Terra). Tem medo de roubar, mas ainda tem mais medo do pai, que a mandou fazer isso e da fome da família durante o Inverno ... etc...
Pouco depois, comprei Os Pilares da Terra em espanhol, pois estava em viagem: em Portugal custaria algo como 50 Euros, pois é muito grande e em 2 volumes, em espanhol era só um e muito mais barato (acontece o mesmo com este). 
O primeiro livro é sobre a construção das catedrais góticas, em especial a de Kingsbridge, sendo elas os "pilares da terra", em termos místicos. No segundo, os construtores, plebeus, são antepassados das personagens nobres.
Para além dos livros de Pearl Buck, aqueles cuja acção decorre na China, poucas vezes gostei tanto de ler um romance.
São obras que nos colocam em contacto com os aspectos essenciais da vida e da humanidade, da natureza e do tempo.
Estava eu, por estes dias, a ler o primeiro capítulo de Um Mundo sem Fim, eram duas horas da manhã, chovia torrencialmente e de forma assustadora na Kingsbridge medieval e também no meu telhado em Lisboa, onde havia o aviso de alerta amarelo, de tal maneira que entrou água da chuva na minha casa, tendo eu interrompido a leitura para ir ver... e pôr um balde a apanhar a água...
Mas depois voltei  a recostar-me na cama, continuei a ler e lentamente abrandou e parou de chover na minha casa de Lisboa e na Kingsbridge daquele tempo.
Os telhados são sempre um problema...

P.S.: Disseram-me agora que está a passar uma mini-série sobre os Pilares da Terra no AXN. Se ainda não leram é melhor lerem agora o livro e ver a série mais tarde, que há-de voltar a dar...


sábado, janeiro 01, 2011

Aniversário do blogue Terra Imunda


Fogo de Artifício em Lisboa, hoje


Este blogue faz hoje cinco anos. 
Quando eu era muito jovem, ajudei a fundar, com os meus amigos, um jornal regional na pequena terra onde nasci. Durante vários anos após esse início, fui criticada porque nunca escrevi uma linha nesse jornal. E até hoje. 
A minha resposta era: - mas que tenho eu a dizer às pessoas desta terra, se o meu maior sonho, quando cá vivia, era fugir a sete pés para outras paragens?
Lembro-me disto agora, porque nunca me faltou assunto para estes dois blogues. A prova é que, só este, tem cerca de 1250 postagens, fora as muitas que apaguei por só me parecerem relevantes no momento em que foram escritas. Dessa terra, só três pessoas lêem os meus blogues: duas familiares e uma amiga que vive em França. 
É caso para repetir a célebre frase-título de Sartre: "Escrever para quê, para quem?"
A resposta neste caso é simples: para pessoas de Portugal (sobretudo Lisboa) e do Brasil, sendo os meus "maiores fãs"ou "melhores fregueses"  :)  completamente desconhecidos, residentes nos Estados Unidos. Que lêem os meus posts muito mais vezes do que eu.
Sim, deixámos de viver num lugar específico, na medida em que só lá estamos fisicamente. Hoje não me importaria de viver numa terra pequena... mas perto de um grande centro, claro. Lá chegaremos, a viver numa aldeia remota, sentindo-nos na crista da onda...


Com o blogue acabei também por descobrir a fotografia, pois não me parecia interessante tirar fotografias     sem as mostrar. Podiam ser melhores, pois não estudei técnicas e não quero andar carregada com uma máquina enorme, mas algumas não são más, acho eu. Hoje mesmo criei um álbum no Flickr, chamado Navegações - clicar para ver


Feliz Ano Novo para todos e muito especialmente para os meus "fregueses" dos Estados Unidos