quinta-feira, janeiro 31, 2013

Chavões New Age, atribuídos a Fernando Pessoa (Apócrifos de Pessoa)

Circulam na net muitas frases apresentadas como poemas de Fernando Pessoa. Nem são de Fernando Pessoa e, muitas vezes, nem são poemas.

Pior, esses textos não parecem ser de Fernando Pessoa, pois não têm nada a ver com a sua personalidade, nem com o seu modo de escrever.

São quase sempre textos New Age, às vezes verdadeiros chavões.

Este blogger conta um caso curioso que lhe aconteceu: um dia em que estava irritado, magoado, escreveu estas frases:

"Pedras no caminho? Eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo." 

Algum tempo depois, estas frases começam a aparecer na net como sendo de Pessoa. Um pouco mais tarde, aparecem coladas no fim de poema "Dez Leis para Ser Feliz", de Augusto Cury e, adivinhem... atribuídas a quem? a Fernando Pessoa. O caso é narrado pelo próprio blogger, AQUI

Outro caso, narrado no blogue Conexão Udi, é este (entre outros do mesmo género):

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia; e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." 

(Autor: Fernando Teixeira de Andrade - 1946-2008)

E muitos outros.

English as she is spoke

English as she is spoke.

É o título de um livro escrito por portugueses que não sabiam inglês, para ensinar inglês a quem não soubesse inglês e (mal) falasse português.


Ficou de tal modo mal feito, que é o exemplo acabado do chamado HUMOR INVOLUNTÁRIO, ou seja, é ridículo, ou cómicio, sem intenção. Este conceito nem existe em língua portuguesa.



Nós somos cómicos ou ridículos, na maior ingenuidade...




Publicado em 1955 pelo autor pedro carolino, merece este comentário, de Mark Twain:

 “Nobody can add to the absurdity of this book, nobody can imitate it successfully, nobody can hope to produce its fellow; it is perfect.” 

quarta-feira, janeiro 30, 2013

Mais humor involuntário





Ai sim? Um tipo que se recusou aceitar politicamente a lei do "Enriquecimento ilícito", impedindo muitas criaturas do PS de irem parar à cadeia.

Há-de ir longe. Bué!

Enquanto os portugueses não estiverem todos a dormir que nem pedras!

Creio mesmo que não estão.

Com tanto problema e com tanta notícia perturbadora e aflitiva, quem consegue dormir?


A SOLUÇÃO

Tenho uma ideia ótima* para poupar dinheiro ao país: vender o palácio de Belém, o de São Bento e o da Assembleia da República, para fazer restaurantes chineses. Despachar os nossos políticos todos para a Grécia, para resolverem os problemas dos tadinhos dos gregos.

* Ótima = óptima. Tão boa como o daqueles do FMI. Por exemplo, o tipo que foi expulso do FMI, mas que tinha ideias maravilhosas para Portugal. ESTES QUE SE... eles que se lixem, ou pior

terça-feira, janeiro 29, 2013

Peste Grisalha e Malas Chanel: Humoristas?

Uma criatura, dessas da política, deputado do PSD, referiu a "Peste Grisalha" como a peste que grassa em Portugal.

É notícia nos jornais que vai haver baixas de impostos para os reformados da União Europreia que queiram vir viver para cá. Ou seja, vamos importar mais "peste grisalha".

VER AQUI: IRS mais baixo. Governo quer atrair reformados estrangeiros

São casos muito engraçados de humor involuntário.



Receita da Nadinha para combater a peste grisalha: que o Estade subsidie os produtos para pintar sos cabelos ou as idas à Queirós do Vale para esse fim!!! Não acham??? E as malas Chanel, claro.

QUE LATA!!! Quem poderá votar nesta escumalha?



OIÇAM O QUE DISSE ESTA CRIATURA, PEDRO PASSOS COELHO, ANTES DE SER PRIMEIRO MINISTRO.

NEGOU A NECESSIDADE DE TUDO O QUE VEIO A FAZER. E ACRESCENTA MESMO:

"NÃO DIZEMOS HOJE UMA COISA E AMANHÃ OUTRA".


segunda-feira, janeiro 28, 2013

Aldeia Comunitária





Este vídeo mostra o que aconteceu na aldeia comunitária de Linhares.
Uma boa ideia, que poderia ser posta em comum, também noutros lugares do país.

Ideias criativas geradas pela crise.


domingo, janeiro 27, 2013

Livros inspirados nas uvas e no vinho

Acabo de ler Ervamoira, um romance histórico abarcando várias gerações do fabrico do vinho do Porto e descrevendo a própria cidade do Porto em diferentes épocas.
Escrito com espantosa sensibilidade e com um surpreendente conhecimento da história cultural, económica e demográfica da região, aliados a uma inventiva que lhe permite narrar inúmeras estórias interessantes e originais, a obra de Suzanne Chantal consegue também mostrar o essencial da vida e do mundo, como se vistos através uma embriaguês, que apaga os contornos, sem ocultar a beleza do mundo, ignorando a monotonia dos dias e referindo vagamente, embora sem as esquecer, as partes menos belas da natureza humana.




Um outro livro que reli agora, foi O Catalão de Noah Gordon, também romance histórico, cuja ação principal decorre numa região vinícola espanhola, catalã, uma pequena quinta onde se cultiva uma vinha de fraca qualidade, que só serve para fazer vinagre. 



O protagonista vai viver para França, por razões políticas e / ou económicas, sem que exista grande diferença entre as duas razões, onde aprende como fazer vinho a sério, regressando à quintinha de vinagre, que já nem lhe pertencia... e mais não conto.





Nas duas obras, e talvez em muitas outras, o vinho serve de inspiração, tanto para a atitude dionisíaca perante a vida, como para o seu oposto, o trabalho duro, o dever...

É  a seiva, arrancada à pedra e à terra *, que circula pelos copos e pelos corpos, enchendo-os de prazer, moderado ou excessivo, a seiva pela qual o homem se supera a si mesmo, fazendo algo que a natureza não lhe ofereceu, e talvez mesmo Deus não lhe tenha oferecido.

Algo que se fabrica, de forma alquímica, com sangue, suor e lágrimas e riso e alegria e festa. E morte. E constante recomeço. Que são o resumo mesmo da vida. 


* O bom vinho só se dá em terrenos pedregosos e inóspitos. Ver a propósito uma improvável vinha que fotografei nas Canárias, em Lanzarote, em terreno vulcânico e seco. AQUI.



sexta-feira, janeiro 25, 2013

A Criada Malcriada






É mais ou menos claro. Quando eu era muito jovem, isto é, no século passado, só os pobres, os ignorantes e as empregadas domésticas tinham de ser (e eram) muito bem educados. Os patrões eram malcriados. Porque podiam ser. Claro.

Recordo um episódio: com muita gente na sala de espera, o senhor doutor Fulano de Tal grita bem alto com uma doente, de forma a que todos oiçam:

- Vós sois umas vacas! Estás outra vez  grávida! Vós estais sempre grávidas!

Com a crise, esta má criação voltou a estar na moda. E também uma espécie de banda desenhada, que se tornou viral no Facebook. Chamada "A Criada Malcriada".

Lembrei-me do episódio que contei, porque a criada é educadíssima e a patroa é muito malcriada. Como se vê aqui.

Os desenhos são muito mal feitos, mas a graça também está aí. No Facebook, comenta-se muito este aspeto.

E agora, ao colocar as tags neste post, ocorreu-me esta pergunta: onde estiveram, até agora, na sociedade portuguesa, as Tags: Humor, Crítica Social?

VER AQUI ENTREVISTA COM AUTOR


E vamos ficando a conhecer alguns segredos da Senhora :)




quinta-feira, janeiro 24, 2013

Desfado





Muitos portugueses e portuguesas, entre os quais me incluo, manifestam uma alergia epidérmica ao fado. No que essa canção tem de obsoleto, marialva, fatalista, arcaico, rude, grosseiro.

Acrescentando a tudo isto, a sua conotação política.

Comecei a gostar dos fados da Mísia, que nunca escolhe letras eivadas nesses temas ou contaminadas desses vírus nacionais. De facto, o fatalismo fadista só pode mergulhar as suas raízes na preguiça também endémica desta terra. Não me sinto infeliz por ser portuguesa, nem feliz. Apenas incomodada por uma certa falta de ética-estética. E de esforço.

Gosto desta nova cantora fadista, Ana Moura. Tem um novo modo de cantar o fado - o desfado.

Creio que uma fadista, a Mísia, como a outra usam as músicas do fado, apenas alterando as letras. São as letras que contêm estas ideais arcaicas. E absurdas.
Ouçam. 

quarta-feira, janeiro 23, 2013

Gandas Mulas! Isto são só anedotas

O Espanhol Carlos Mulas, co-autor do famigerado relatório do FMI, que põe e dispõe da sociedade portuguesa, do emprego, do trabalho, dos impostos, da miséria...  é hoje protagonista da seguinte notícia:

"Autor de relatório do FMI envolvido em escândalo por falsa identidade"

"Espanhol Carlos Mulas escrevia sob pseudónimo de Amy Martin e era pago a peso de ouro por Fundação do PSOE, da qual era diretor"

A Amy Martin seria uma mulher, especialista em tudo.

São só anedotas. Sem graça nenhuma. Estamos bem entregues! A esta escumalha internacional, sem escrúpulos!

terça-feira, janeiro 22, 2013

segunda-feira, janeiro 21, 2013

Contestar os vendavais

As pessoas que têm medo de criticar o Governo, agora contestam abertamente o vendaval, até mesmo em direto na televisão.
Que coragem!


E agora vem aí o dengue! Fujem!!! Fujem!!!

Fujem!!! Fujem!!!

Já veio aí a Tróika, já veio aí o FMI, já veio aí o Papão, já veio aí o temporal, o mini-vendaval...

O Passos Coelho e o Sócrates e os quejandos andaram aí a dar cabo do país e depois veio o vendaval para dar cabo do pouco que sobrou!

E agora vem aí o Dengue!
Fujem!

(Ritmo de RAPE, claro!)

domingo, janeiro 20, 2013

Que ninguém acuse o Terra Imunda de ser pessimista





Que fazer num ano tão chuvosos? Cantar e dançar à chuva, claro.

Singing (and dancing) in the rain.

Auditoria Cidadã à Dívida Pública




Realizou-se ontem o encontro para apresentar o relatório da Auditoria Cidadã à Dívida Pública.
Algumas grandes conclusões:

- Uma boa parte da dívida é ilegítima
- A dívida será necessariamente renegociada e é necessário que isso aconteça
- Os governos fazem tudo para resolver o problema fiscal, sem fazerem nada para resolver o problema económico.

Esta última, já a ouvi várias vezes...


Pode ver, clicando aqui, o vídeo de todo o encontro, que deu em direto.


sexta-feira, janeiro 18, 2013

Sonhos e desejos para 2013: sinais dos tempos


A paquistanesa Malala Yousafzai 



Em Portugal, uma jovem blogger de 25 anos deseja uma "mala Chanel" para ela mesma, considerando a sua aquisição uma grande conquista. Este brilhante sonho é alardeado em anúncio e vídeo por uma empresa de eletrodomésticos, até cair no ridículo e ser retirado. Deu muito que falar. É natural. Basta comparar as situações.

AUSTERIDADE? PARA QUEM? PARA QUÊ?

Andamos todos um nadinha azuratados com esta coisa de nos roubarem o nosso dinheiro de todas as maneiras possíveis e de ainda acharem que a culpa é nossa e de ainda irem ostentar a sua grande riqueza, de estranha proveniência, os nossos políticos...

Se calhar a austeridade tem de ser, PORQUE diz o FMI, PORQUE diz não sei quem...

Aqui vão algumas opiniões contra a austeridade de pessoas entendidas na matéria. CLICAR POR CIMA DOS TÍTULOS.

Co-autor do estudo do FMI diz que austeridade não é o caminho



Estudo do FMI foi «um frete feito ao Governo», diz Freitas do Amaral


Jorge Sampaio: não se reforma um Estado "para inglês ver”






domingo, janeiro 13, 2013

Passos Coelho: coragem de serial Killer

Passos Coelho tem manifestado, politicamente, a coragem de um serial Killer.
Já muitos morreram e outros irão morrer por sua causa. Quanto mais não seja, de susto.

O Povo Will Survive! As Marias Antonietas é que morrem cedo.

Vamos iniciar mais uma semana, em que os políticos, numa espantosa inversão de valores (a favor da  sinceridade) e com a coragem que é própria dos serial killers, vão prometer tirar-nos:
Saúde, Trabalho e Dinheiro. (Amor?)


Prometerão tirar-nos o emprego, o direito à reforma, substituindo-a pelo desemprego, o dinheiro, etc.

Também vamos ouvir casos espantosos e nunca vistos, como o perdão da dívida do Duarte Lima, e de outros políticos, aos quais não é possível penhorar os bens, já que os puseram em nome de outras pessoas. Casos espantosos como o das políticas que se reformaram ou vão reformar aos 40 e poucos anos.

Mas o povo sobrevive. Quem não sobrevive são as Marias Antonietas.

Alguém, recentemente, criticou o anarquismo, acusando-o de ser contra todas as  formas de poder?

sexta-feira, janeiro 11, 2013

A crise segundo José Gil


"Nós estamos a mudar porque nos estão a atingir o âmago mesmo da existência"
"Agora já não é o medo de existir, é o medo de não existir, o medo de não viver" afirma o autor do livro já aqui referido
Portugal Hoje: O Medo de Existir

Esse curso só serve para dar aulas!

Há alguns anos, não muitos, todos tinham pena dos professores portugueses, por serem pobres, isto é, por ganharem pouco.

E toda a gente dizia frases como esta: 
- Esse curso não presta, só serve para dar aulas!

Em pouco tempo, não mais de uma década e tendo a situação dos professores sido alterada para muitíssimo pior, agora, de repente, todos dizem que os professores ganham demais. Ganham mais do que deviam. Professores, médicos e magistrados ganham demais, ao que dizem. 

- Ai sim? - Então, tivessem escolhido aquele curso que só servia para dar aulas! - responde, indignada, a Nadinha.

A realidade é incompreensível. Se não levarmos em conta as intenções de comunicação:

Quem diz, por que diz, qual a intenção ou as intenções destes dizeres antagónicos.
Mas ainda vamos levar outra década antes de entendermos este absurdo que aqui se expõe e do qual ninguém fala.

Professores, médicos e magistrados ganham demais, embora ganhem menos do que um canalizador.


quinta-feira, janeiro 10, 2013

Não se aguenta! Fora com este Governo!





















Hoje vi pessoas a chorar. Muita gente não dormiu. Já ninguém aguenta!

Em causa está o documento do FMI, encomendado pelo governo e anunciado ontem por um jornal.

Sinto-me  como se estivéssemos todos numa prisão de alta segurança, a viver ao capricho de carcereiros anónimos. E caprichosos.

Que nos condenam a  trabalhar até morrer e / ou a morrer à fome.

Quando leio notícias como esta, não sei de quem estão a falar:

"Carlos Carreiras pede demissão de Carlos Moedas"

Quem são estas criaturas, Carlos Carreiras e Carlos Moedas?




AUDITORIA CIDADÃ À DÍVIDA PÚBLICA

LEIAM ISTO:

"Na altura, muitas pessoas aceitavam o preceito de que «as dívidas devem ser sempre pagas» — mesmo se a dívida em questão tivesse sido contraída por um ditador há muito deposto, a quem o dinheiro fora emprestado para comprar ao Ocidente as armas utilizadas para oprimir as mesmas pessoas a quem agora se exigia o pagamento. "

1.º Encontro Nacional da Iniciativa por Uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública
Sábado, 19 de Janeiro de 2013
10:00 até 18:00




quarta-feira, janeiro 09, 2013

Que notícias tão interessantes!


"Espetáculos eróticos são artísticos e devem ter IVA a 5%, esclarece tribunal"



A mim, parece-me bem. Como os portugueses andam todos muito aborrecidos e mesmo muito escaçumelados com a situação política e com os políticos, correm o risco de acabar, como espécie.

O marido e a esposa metem-se na cama com um cachecol, 4 lexotans e uma botija cada um... por ser caro o aquecimento e por andarem nervosos com a crise.

Os filmes pornográficos deveriam ser grátis como as seringas e acompanhados de preservativos estragados, como brinde. 

Só assim se resolvem os problemas da demografia.

Bebedeiras Par(a)lamentares



A mim parece-me bem. Só a cair de bêbados e convencidos de que têm imunidade parlamentar é que os nossos deputados conseguem  aprovar as leis que têm aprovado.


terça-feira, janeiro 08, 2013

Circo Chen: Fabulosos artistas russos: Gerard Depardieu, Passos Coelho, Sócrates

França, um país tão orgulhoso, está em estado de choque, dado que todos os seus artistas estão a virar russos.

O famoso Gerard Depardieu, por exemplo, considerou pedir a nacionalidade belga para não pagar muitos impostos, mas aceitou quando lhe foi oferecida a nacionalidade russa, embora tal ideia nunca lhe tivesse passado pela cabeça.


Tudo isto nos faz muito lembrar o Circo Chen, claro.

Em primeiro lugar, aparece uma dupla, (chamada "parelha", nunca entendi porquê). Que é espanhola. Podem ser dois homens, ou um homem e uma mulher. O apresentador quase grita, de espanto e de urgência, anunciando estes dois:

- E aqui está a famosa parelha de contorsionistas espanhóis, os famosos irmãos TEQUIERO! Música!!!!

Procede-se à representação dos contorcionistas espanhóis, que logo termina.

De imediato aparecem os mesmos artistas, desta vez vestidos à antiga russa:

- E apresentamos agora os fabulosos artistas russos, trapezistas, os irmãos Rachmaninov.

Procede-se à representação do trapézio, que logo termina.

Logo depois surgem os mesmos dois, vestidos de portugueses (fato e gravata) e é aí que se dá a apoteose:

- E agora!!! Os incríveis irmãos Silva, portugueses, malabaristas, conhecidos em todo o mundo!

Procede-se à representação de Circo Malabar, que logo termina.

Aplausos. Apoteose!!!!!!!!!!!!!!!

E agora os fantásticos irmãos Ucranianos Sócrates e Coelho, fabulosos Pantomineiros.

(Cenas dos próximos Capítulos)

segunda-feira, janeiro 07, 2013

domingo, janeiro 06, 2013

Passagem para lado nenhum


(Foto do enólogo Jorge Moreira)

Esta bela construção que se vê na imagem e que se adivinha ter custado muito dinheiro ao Estado Português, não dá passagem para lado nenhum.


É um grande viaduto que deveria fazer a ligação da nova A4 para vila Real, mas falta fazer um túnel que não podem fazer por questões de posse das terras. Está assim há muito tempo, sem solução.

É claro que podemos sempre fazer todo aquele percurso e depois voltar para trás. :)

Há Crise?

Foi aprovada a aposentadoria aos 50 anos com 9.000 euros por mês para os funcionários da União Europeia.


VER AQUI

Violações em Nova Delhi e Protestos

Ainda não falei aqui deste caso. É fácil de entender. Tenho defendido sempre a condição feminina, mas a Europa está a anos-luz desta situação. Este blogue pretende protestar de forma construtiva e intervir... aqui.

Refiro agora o caso, para dizer que a Europa, com milhões de erros cometidos no passado em relação à mulher, mas não no presente e pioneira nesse aspeto, deverá defender, ou ajudar a defender, aquelas que ainda vivem esta desoladora situação.

A Índia, lugar que nos parece mítico, por várias razões, que está a evoluir no sentido de se modernizar... 

A literatura indiana atual denuncia esta situação recorrente: uma percentagem significativa está arreigada a leis obsoletas e mesmo ridículas, enquanto outros se modernizam, talvez excessivamente. O convívio da modernidade com o arcaísmo faz-se da forma menos razoável.

Pelo que conheço, poderia dar este exemplo, para ilustrar a ideia: as vacas sagradas a comerem o lixo nas ruas, exatamente na capital, Nova Delhi. E qual é o lixo? Não há muito que seja de comer, claro. Há embalagens de shampoo Sunsilk, de sabonetes Palmolive, de tampões O.B. ... 

É impressionante. Vendem-se batatas fritas Lays, mas fora de prazo... Tampões o.b., em embalagens sujíssimas, sejam compradas nas farmácias ou nas mercearias... não menos sujas nas farmácias do que nas mercearias...

O pai da jovem violada decide divulgar a identidade da filha, embora a lei proteja os violadores e esconda as vítimas, como se vê aqui:

"A legislação indiana proíbe, regra geral, a identificação de vítimas de crimes sexuais, afirma a agência Reuters."  CLICAR para ler mais.

Foi esta uma imagem da Índia que eu não quis dar, no diário que fiz da viagem. Talvez por ser óbvia.

Que podemos fazer?: talvez muito. Talvez constatar que muito está a mudar na Índia e no mundo. Talvez por influência da nossa cultura democrática...
Talvez agir.

sábado, janeiro 05, 2013

Caso BPN



Aqui está uma reportagem que talvez nos esclareça.
Porque é que os bens destas pessoas não são penhorados para pagar as dívidas?

quarta-feira, janeiro 02, 2013

Subsídios, coelhos, cavacos, portas, cristas, limas de limar, ou o que quiserdes

Filhos: se nos devolverem os subsídios de férias e de Natal, o coelhão vai ter de fugir para bem mais longe do que Paris. Ele que dizia que nunca mais iríamos receber os subsídios, a bem da Nação, poderá governar depois disto?

Se eu o vir, digo logo assim:
- Ó seu filho duma coelha degenerada! Querias-me (erro ortográfico muito expressivo) a minha grana para a dares ao Duarte Lima * e aos outros delinquentes que andam por aí?

Eu estava à espera que o Cavaco (Silva) dissesse que a supressão dos subsídios era dura, mas que era inevitável, que não havia alternativa.

Se até o Cavaco Silva, que não é conhecido por ser corajoso, até é mais conhecido por ser um homem sem qualidades, como quase todos os nossos políticos, põe em causa este orçamento...

Quanto a ser muito honesto, as opiniões variam... não será dos piores.
Quanto a mim, é apenas mais um cavaco para acender um lume já difícil de controlar. Salve-se quem puder.

* VER AQUI :

Estado assume dívidas de Duarte Lima e Baía ao BPN


(Para quem não sabe / para quem não é português, este Duarte Lima está preso por ser suspeito de crimes de fraude e branqueamento de dinheiro em Portugal e de um crime de homicídio no Brasil.)

terça-feira, janeiro 01, 2013

Faço hoje 7 anos - Diz, gabando-se, o blogue Terra Imunda






Fotos: Povinho


Faz hoje sete anos o blogue Terra Imunda, pois constituiu uma maneira auspiciosa de começar o ano de 2006. A maioria dos blogues dura três meses por falta de assunto, este continua e, até agora, tem corrido bem.

Foi considerada a hipótese de mudar o nome, pela carga de crítica social que este apresenta, embora esta expressão também apareça muito na Bíblia, o que não se sabia na ocasião. Vai manter o nome, porque a sociedade em que vivemos cada vez precisa mais de quem a  critique, no geral e no particular, sem medo.

A corrupção política e económica em Portugal é um facto por demais conhecido, a sua permanência é algo que poderíamos considerar uma ditadura fraudulenta, mas também resulta da passividade do povo.

Não só da passividade, mas da cumplicidade de muitos e da ingenuidade de muitos mais, talvez a maioria.

Vemos pessoas que faltam ao trabalho com falsos atestados médicos: quando regressam, um pouco mais bronzeadas e muito felizes, toda a gente tem pena delas, tão doentinhas que são, e toda a gente as admira porque, apesar das graves doenças de que são vítimas, são pessoas que andam sempre alegres e bem dispostas. Ai de quem levantar a mais vaga suspeita sobre a autenticidade da doença: coitadinhos! Bronzeados? Foi do tratamento.

Todos sabemos que muitos trabalhadores e talvez a maior parte dos pequenos empreiteiros que fazem consertos nas casas, não pagam impostos. E até concordamos quando nos perguntam se queremos fatura, pois nesse caso é mais caro. Consultas médicas caras? É mais barato sem fatura. Pagamos menos sem fatura ou mais com fatura e nem nos passa pela cabeça protestar. Em parte por pensarmos que não vale a pena. 

Claro que não vale a pena: enquanto uns tiverem uma lata descomunal e outros uma complacência descomunal, chamando "mazinhas" às pessoas que nem são corruptas nem parvas, realmente não vale a pena.

Tudo isto começa na escola: a camaradagem exige não denunciar o colega que copia. Nem o que se porta mal. Mesmo que os que estudam, se portam bem e não copiam tenham de mudar de escola, pois não conseguem concentrar-se ou têm notas piores. - "Mas copiar é bom, a copiar aprende-se"- diz todos o mundo. - E é bom ser rebelde! - (Entendendo rebeldia como falta de educação e preguiça).

Caros conterrâneos: continuemos assim, em direção ao abismo. É de boa camaradagem não denunciar nada nem ninguém e ficarmos cada vez mais pobres enquanto os não denunciados cada vez enriquecem mais, numa sociedade em que os culpados são os que não concordam. 

Termino com mais uma citação do pobre Frenando Pessoa, ele que tanto sofreu com tudo isto. Diz que Portugal é um país (ou era, no seu tempo) sem "rei nem lei". Já dizia, nesse tempo que "é a hora" de agir e de mudar, mas, até agora, ainda não foi. Nem mudou.

Vejamos:

"Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

É a Hora! "