domingo, abril 23, 2017


Eu tenho e sempre tive muita dificuldade em lidar com pessoas que são insuportáveis.

terça-feira, abril 18, 2017

Amigos amorosos que nos passam à frente a sorrir

Tenho uma amiga amorosa. Tem um sentido muito critico da vida e do mundo, da sociedade em que nos inserimos. Mas só o diz quando quem tem o poder não está ouvir. Abraça, beija e bajula as pessoas que têm um nadinha de poder.
O resultado é ótimo: tem imensos privilégios, é homenageada, passa à frente de toda a gente em tudo e etc.
E você? Também tem uma amiga assim?

sábado, abril 15, 2017

Cores e sombras

M



Como deve ser belo poder comer as flores
Engolir a beleza do mundo, amarela, verde, azul, cor de malva rosa
Sentindo o aroma subtil da mistura das sombras
Numa tarde de primavera

Como fazem os cavalos

sexta-feira, abril 14, 2017

Escravatura e Portugal


https://www.publico.pt/2017/04/14/politica/noticia/portugal-evitando-falar-sobre-escravatura-desde-1761-1768756

Ainda


Sobre escravatura e quadros da exposição, coleiras, etc.


terça-feira, abril 11, 2017

Lisboa, a serena revolução

Há vinte anos seria impossível dizer tal coisa. Houve uma modernização geral, desde a pavimentação das ruas até a decoração e higiene no interior dos edifícios, restaurantes, etc. E, sim, desapareceram muitíssimos restaurantes fracos e imundos, com a crise.
É também perdemos um certo falalismo é uma certa propensão para a retórica.
E os vinhos, os queijos, os cozInheiros gourmet, etc., isso foi uma revolução.


É o que permite lermos agora opiniões internacionais, como está da CNN 


Lisboa é a cidade mais cool da Europa. As sete razões da CNN



https://www.publico.pt/2017/04/10/fugas/noticia/as-sete-razoes-que-levam-a-cnn-a-considerar-lisboa-a-cidade-mais-cool-da-europa-1768375

segunda-feira, abril 10, 2017

Ainda os estudantes portugueses expulsos de Espanha por mau comportamento.

Afinal já se percebeu o que aconteceu em Torremolinos, vendo e ouvindo múltiplas declarações.

Segundo um pai, os miúdos nem sequer tinham sopa, às refeições. E todos sabemos que os "miúdos" não podem passar sem sopa, portanto, revoltaram-se.


Não é nada falta de chá, é só mesmo falta de sopa.

E os estudantes não viram nada estragado: só uma frase escrita numa parede, uma outra parede riscada, um tecto falso destruído, coisas a arder dentro do hotel (que coisas?), mesas de cabeceira e sofás nos elevadores, só um extintor destruído, etc.. De resto, tudo bem.
Assim, os estudantes dizem o mesmo que o hotel, se somarmos as suas declarações, a diferença é não terem qualquer noção das responsabilidades ou dos custos monetários e morais dos estragos praticados.

E já têm mais que idade para terem a noção da responsabilidade.

É claro que nem todos colaboraram, mas os que nada fizeram de mal e que são vítimas dos outros têm a vergonha, o bom senso e os conselhos dos pais, que os levam a não se manifestarem em público.

domingo, abril 09, 2017

Pais e aluno portugueses castigados por polícia espanhola

Mil estudantes portugueses, que haviam pago alguns dias de estadia em Espanha, foram expulsos do país, por terem praticado distúrbios como: deitar televisores dentro de banheiras, partir portas e janelas de vidro, etc., num quantidade tal, que o seguro da agência de viagens não pode  cobrir estes prejuízos, segundo as notícias. 

Isto deve merecer uma reflexão púbica de todos: pais, professores, sindicatos, governo, alunos, etc., sobretudo numa ocasião em que o Ministério da Educação propõe um perfil do aluno tão exigente, que é muito semelhante ao que o Vaticano propõe para alguma criatura ser canonizada.

Tudo isto é um sinal dos tempos: são tantos os estudantes que pagam estas viagens, que é evidente a explicação: os pais sacrificam-se para pagar estas viagens, tal como se sacrificam ao usar os telemóveis velhos e de vidro partido dos filhos, para oferecerem Iphones aos piores alunos, sem qualquer consideração pelo mérito ou demérito dos mesmos. 

Sim, não são os pais que disciplinam o filhos, é a polícia espanhola que disciplina os pais e os filhos portugueses.

Não, não são os professores portugueses nem a polícia portuguesa a fazer o que fez a polícia espanhola.

É muito óbvio, por outro lado, que nem metade dos cerca de mil estudantes portugueses participou dos distúrbios que deram origem à expulsão. E isto levanta um novo problema, dos qual também ninguém fala.

Em cada turma de trinta alunos, haverá, na maioria dos casos, um máximo de 10 que boicotam as aulas, às vezes dois ou três, outras vezes um ou dois. As meninas raramente fazem grandes asneiras, mas as poucas que as fazem, conseguem ser piores que os rapazes.

Mas aqui, todos nós, elementos da sociedade portuguesa, pais, professores, alunos, tios e tias e vizinhos estamos de acordo: os colegas de estudo devem proteger-se uns aos outros. Quando um faz uma grande asneira, os outros devem ocultá-lo e nunca o denunciarem. 

É a chamada camaradagem, tão apreciada por todos nós.

Essas meninas que têm uma formação moral e humana normais na nossa sociedade tão humanista, juntamente com muito meninos que têm uma formação moral e humana normais na nossa sociedade tão humanista, têm o dever ético e moral de proteger os colegas, ainda que estes colegas os impeçam de estar com atenção nas aulas, de terem boas notas, de poderem escolher os cursos que querem. 

Como estes rapazes e raparigas se regem por valores, incluindo o da camaradagem, nunca denunciarão aqueles que o impedem de perseguir ou de cumprir os seus próprios sonhos...

Quando eu, Nadinha, aprendi a falar, creio que a primeira frase que disse, foi esta:

- Eu não suporto a estupidez desta gente! De quase toda a gente!


VER AQUI A NOTÍCIA

E AQUI

E aguarda-se conferencia de imprensa sobre o assunto, amanhã

Os pais dos alunos têm o direito de usar telemóveis novos, modernos, topo de gama?

Dito por um professora que conhecemos bem:

Como sou muito distraída, acontece às vezes o meu telemóvel tocar durante as aulas. Pedindo desculpa aos alunos, a sorrir, desligo-o sem atender. 

A reação deles é sempre de espanto, de tal modo que o recordam anos depois. Espanto, porquê? : porque o meu telemóvel é sempre da última geração, ao contrário do dos pais e restantes professores (também pais) que usam os telemóveis velhos que os filhos já não querem, ou seja, é muito estranho que um adulto, trabalhador e pagador de impostos que sustentam o ensino obrigatório, tenha um telemóvel tão bom como o dos miúdos. 

Os piores alunos têm mesmo telefones muito melhores do que os meus, sobretudo Iphones, mesmo quando os pais são pobres. E utilizam-nos para boicotar as aulas, impedindo os colegas de estarem com atenção, impedindo os professores de darem aulas.

sexta-feira, abril 07, 2017

Romance Dona Barbara do autor venezuelano Rómulo Gallegos


Não me sendo possível comprar todos os livros que leio, comprei este por um euro numa loja de caridade. Se não gostar, ofereço-o de volta, grátis. O mesmo se aplica a antigualhas, objetos. Mas estou a adorar. 
Passado na Venezuela, bebe da América latina a sua especificidade. Longe do realismo fantástico é anterior à ele, procura explicar a bruxaria pelo seu efeito nos ignorantes que não a põem em dúvida. Algum realismo, as saudades do "matão", que todos temos, mesmo sem sabermos que temos e a explicação filosófica e psicológica: se as gentes acreditam no efeito mágico, então há pessoas que manipulam esse efeito.




Excerto









quarta-feira, abril 05, 2017

Quantos géneros existem? Cinco, é claro!


Os índios da América não tinham 2 géneros: masculino e feminino, mas sim cinco: fémea, macho, fémea com dois espíritos, macho com dois espíritos, transgénero.
Quem tinha os dois géneros era dotado papel natureza e capaz de ver os dois lados de cada coisa 




VER AQUI, em Inglês



Só é pena este artigo considerar que os espanhóis não são europeus brancos como os ingleses.

terça-feira, abril 04, 2017

Morreu um homem bom: Mujica, ex-presidente do Uruguai: Tudo o que os outros políticos se recusam a ser.

Morreu um homem bom, um exemplo hoje em dia raro para quem ser um homem bom.

José Mujica, ex-presidente do Uruguai.
Governou-o até há muito pouco tempo, com humildade, modéstia, espírito de serviço.
Tudo o que os outros políticos se recusam a ser.

sábado, abril 01, 2017

Picnick na arte e na fotografia



Muito interessante este artigo sobre o picnic na arte. 
Partilho.


http://www.npr.org/sections/thesalt/2015/04/24/400184632/sexy-simple-satirical-300-years-of-picnics-in-art