sexta-feira, dezembro 14, 2007

Os Novos Pedintes

Tenho escrito aqui alguns textos sobre Os Novos Pedintes. Se escrevo num tom irónico, não é por ignorar que "os novos pobres" são uma nova e lamentável realidade social, mas por me parecer que estes pedintes só poderiam sobreviver numa sociedade abastada, tolerante e generosa, embora não consideremos normalmente assim aquela em que vivemos. É também por pensar que muitos deles resultam da insustentável preguiça, que também é o fruto da sociedade em que vivemos. De facto, no passado já houve "novos pobres" que tinham sido nobres, burgueses, etc...


Acho graça aos mil e um estratagemas de que se servem as pessoas para pedir, como já aqui referi alguns.


Noutro dia, ao chegar a casa, uma senhora de muita idade chama-me de uma janela. O edifício tem um ar algo imponente, de ter sido, talvez no passado, uma casa rica e talvez mesmo agora.


- Por favor, menina, ajude-me!
- Claro, com certeza. Diga.
- Eu deixei cair um euro e preciso muito dele porque a minha vizinha foi-me comprar uma coisa e agora, quando ela vier, tenho de lhe pagar. Eu sei que um euro é pouco dinheiro, mas para mim é muito importante. Eu não posso ir lá dentro buscar dinheiro, porque não posso caminhar...
A meio desta fala, a senhora começou a chorar. Comecei a procurar entre as pedras da calçada à portuguesa, perto do caixote do lixo, junto do asfalto...
- Ora veja ali!
- Ora veja atrás do caixote do lixo!
Farta de procurar e sem me apetecer continuar com aquilo, tirei um euro da carteira, fingi que o apanhava do chão e disse:
- Ah, cá está o seu euro! Encontrei!
Incrédula e divertida já, diz-ma a criatura:
- Mas tem a certeza de que encontrou esse euro aí?
- Tenho.
- A sério? Ah ah ah! Parece impossível. Esse euro estava aí?

Não foi a primeira vez que fiz figura de parva e espero bem que não tenha sido a última, pois gostaria de viver ainda mais uns anos largos.

Sendo assim, lá fui para casa a pensar:


- Bem, este truque resultou. Aposto que a velhota vai voltar a tentá-lo com outras pessoas que passem por aqui. Vejo-a lá às vezes, mas para já, tenho passado ao largo.

1 comentário:

Capriccio disse...

Novos pobres?!! nunca tinha pensado nisso!!!
Realmente, não se pode confiar nem nas pessoas idosas.Fica bem!!!