domingo, junho 29, 2008

Copiar e plagiar

Os problemas do ensino em Portugal são muitos e de espécies diferentes.
Por exemplo, há uma grande tolerância, na nossa mentalidade quanto ao acto de copiar. Há até muitos professores que não vêem mal nisso...
É uma das pequenas corrupções em que a sociedade portuguesa é pródiga e que contribui, como todas as outras, para o nosso atraso persistente e endémico.
Agora foi notícia que algumas universidades portuguesas compraram um programa para detectar plágios da Internet (praticados por estudantes e professores). Isso já era possível fazer, apenas dava algum trabalho.
Em entrevistas que vi na televisão, quase todos os estudantes diziam, não no tom de confissão mas sim no tom de gabarolice, que todos ou quase todos os trabalhos quer faziam eram plagiados. Houve um a afirmar que nunca seria capaz de fazer um trabalho sozinho, primeiro porque não o sabia fazer e além disso porque nem teria paciência para tal.
É isto um estudante universitário, que em breve andará por aí a fazer o que não sabe nem nunca saberá. Esperemos que, como muitos, não consiga arranjar um emprego à altura das habilitações...
Embora não aparecesse nessas entrevistas, há uma élite de estudantes que nunca faria tal coisa e que será sempre a élite de tudo. Esperemos que esses não venham a ser marginalizados por serem bons, ao contrário do que acontece com muita gente neste país.
Pormenor curioso: a única estudante que disse que nunca copiou nem plagiou foi uma brasileira. Disse que fazer isso numa Universidade em que paga para estudar, seria o mesmo que ir a uma loja fazer compras, pagar a mercadoria e deixá-la lá.
É uma boa imagem, não acham? De facto, deixam o conhecimento na Universidade, depois de o terem comprado.

1 comentário:

maria disse...

O problema torna-se ainda mais grave quando não são só alunos, mas também professores que fazem (quase) "copy/paste"...