quarta-feira, dezembro 12, 2007

Para não esquecermos a beleza do mundo



Enviaram-me por email fotografias da obra deste autor, que não conhecia. Constatei que, se fosse pintora, queria ser assim.


É surpreendente a ideia de grandiosidade do mundo, da pequenez do homem, ou vice-versa, da pequenez do planeta (o planeta não é o mundo) e da grandiosidade do homem...
O que só se pode entender entendendo a dimensão espiritual da sua obra.
De Vladimir Kush.


Ver mais no blogue Escrevedoiros

1 comentário:

maria disse...

E sempre o Mar!!!
Havemos de navegar...

Bj!